(In)segurança em Roraima

O roubo de um caixa eletrônico e duas lojas no Boa Vista Shopping esta semana, demonstram que as autoridades ligadas a Segurança Pública não...

PC-RR – Delegados anunciam disposição para cruzar os braços

Ao ser entrevista neste domingo (19) na Rádio Folha (1020 AM), o presidente do Sindicato dos Delegados do Estado de Roraima, Volmir Vargas, confirmou...

Brito pede intensificação do policiamento nas barreiras

Na Última segunda-feira (26), o deputado Brito Bezerra (PP) uma indicação  ao Executivo estadual para tornar o policiamento ostensivo obrigatório nos postos policiais das...

CALOTE DE 3 ANOS – Empresa cobra dívida do Estado e pede que ALE-RR...

Mais um calote é atribuído ao governador Anchieta Júnior (PSDB) contra uma empresa que, certamente, não pertence ao rol de 'apadrinhados', nem aceitou participar de qualquer esquema de desvio de recursos públicos. Trata-se de uma dívida de R$ 600 mil, que está sendo cobrada pela empresa Emam Emulsões e Transportes Ltda. A dívida já dura três anos, segundo reportagem do jornal Folha de Boa Vista, edição desta quinta-feira (28).

Carreta Saúde da Mulher tomba na estrada de Alto Alegre

A Carreta Saúde da Mulher, do Governo de Roraima, que fazia parte do comboio da Caravana do Povo, que realiza atendimentos hoje, no Município...

Delegacias da Mulher e da Criança restabelecem atendimento a partir de terça-feira

Em virtude da complexidade da mudança de prédio das delegacias especializadas de Atendimento a Mulher (DEAM) e de Proteção a Criança e Adolescente (DPCA)...

Liberdade irrestrita de informação na internet nas eleições de 2010

A aprovação do projeto da chamada mini-reforma eleitoral pelo Senado Federal, flexibilizando o uso da internet nas eleições já foi um avanço, mas ainda há muito por ser feito. Os senadores brasileiros não entendem nada de internet e querem legislar sobre um assunto que não dominam. Comparar a internet com tv e rádio é uma demonstração de total desconhecimento da dinâmica do funcionamento da rede mundial de computadores.

Auditores e procuradores do TCU criticam limites ao Ministério Público

Três entidades que representam auditores, procuradores e servidores dos tribunais de contas do Brasil criticaram na sexta-feira (12) a proposta que limita os poderes de investigação do Ministério Público. De acordo com a PEC 37, as investigações criminais – e não as cíveis – só poderão ser feitas pela polícia. Mas haverá riscos para a produção de provas, na opinião das associações do Ministério Público de Contas (Ampcon), dos auditores (ANTC) e dos servidores dos tribunais de contas (Fenastc).

ELEIÇÕES 2010 – Mozarildo denuncia mais corrupção em Roraima

Em discurso em Plenário na manhã de sexta-feira (27), o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) voltou a denunciar o governador de Roraima, Anchieta Júnior (PSDB),...
O inquérito civil público é um desdobramento da Operação Salmo 96:12, deflagrada em maio de 2012 pelo MPF e Polícia Federal (Foto: Folha BV)

MPF/RR abre investigação sobre extrações de madeira autorizadas pela Femarh

O Ministério Público Federal em Roraima (MPF/RR) instaurou inquérito civil público (ICP) para apurar eventual existência de risco ou dano ao meio ambiente de...

MATÉRIA EM DESTAQUE