PARLAMENTARES EVANGÉLICOS – Fórum discute em Boa Vista valores morais e cristãos

2
225
O encontro contou com a presença de representantes das igrejas evangélicas e parlamentares do segmento

O Plenário da Câmara Municipal de Boa Vista (CMBV) foi palco, na tarde desta sexta-feira (23) foi palco de palestra proferida pelo presidente do Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política (FENASP), pastor Wilton Acosta[bb], e do vice-presidente da Associação dos Parlamentares Evangélicos do Brasil (APEB), deputado o Deputado estadual pelo Amazonas, Wanderley Dallas[bb](PMDB).

O encontro contou com a participação de representantes de várias igrejas evangélicas[bb] e alguns parlamentares do segmento, como o deputado estadual Dhiego Coelho (PSL) e o vereador Manoel Neves (PRB). De acordo com o pastor Wilton Acosta, o objetivo da FENASP e da APEB é agregar as lideranças políticas evangélicas do País, no sentido de poder ser vigilante com relação aos valores da vida e da família[bb].

Acosta e Dallas também divulgam o encontro que será realizado em Brasília, no dia 12 de abril, para debater as ações legislativas consideradas agressivas às condutas morais e à família, além das ações do Executivo, através de políticas públicas[bb] que ‘confrontam’ a lei cristã.

“Existem hoje vários projetos em tramitação, especialmente no Congresso Nacional, que precisam receber do seguimento evangélico um melhor acompanhamento. Muitos projetos, de várias naturezas, visam desvalorizar a questão da vida e da família, dos valores cristãos, da liberdade religiosa[bb], que atingem diretamente tudo aquilo que nós acreditamos”, afirmou Acosta.

Wilton Acosta: "Nós estamos procurando o debate dentro desse processo democrático"

Segundo Acosta, o Fórum está propondo às lideranças, aos parlamentares evangélicos e a toda a comunidade, uma mobilização nacional, para que possam se organizar e fazer esse “enfrentamento” nas Câmaras Municipais, nas Assembleias Legislativas e no Congresso Nacional, acompanhando de perto as políticas públicas[bb] que têm sido o grande instrumento de desvalorização do valor familiar.

Sem preconceito

Acosta ressaltou ainda que essa mobilização não tem nada a ver com nenhum tipo de preconceito, mas sim com a legitimidade e a necessidade de o seguimento evangélico se organizar, propor suas ações, fazer sua defesa, debatendo democraticamente em todas as casas legislativas aquilo que nós acreditamos, aquilo que pauta a nossa visão.

“Obviamente que toda essa discussão tem como base o respeito às pessoas. Mas isso não significa que tenhamos que concordar com tudo aqui que nos é colocado. Nós estamos procurando o debate dentro desse processo democrático”, disse.

Wanderley Dallas: "Nós estamos nos organizando para que o nosso movimento tenha mais peso no momento da discussão"

O deputado Wanderley Dallas reconhece que nesse ‘embate’, no campo de ideias, existem os choques com outras pessoas que não concordam, mas que essas também pessoas precisam ser respeitadas. “Nós também sofremos com a falta de organização. Nós estamos nos organizando exatamente para que o nosso movimento tenha mais peso no momento da discussão”, enfatizou Dallas.

WIRISMAR RAMOS – da Redação (e-mail: wirismar@gmail.com)

Comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. Em CARACARAIR esta surgindo um movimento em defesa dos valores cristão, contra as ações DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS LESBISCAS, que num contra ataque aos cristão que se posicionaram contra o PL.122. A associação entrou com uma petição para tirar O NOME DE JESUS E SIMBOLOS CRISTÃO EM TODAS REPARTIÇÃO DO PODER JUDICIARIO. essas petição já teve decisão favoravel nos estados RIO GRANDE DO SUL, MINAS GERAIS E SÃO PAULO…

  2. Pergunto sua opiniao sobre o aborto, e sua expressao se fecha: “Tem temas que para nos nao sao negociaveis. Eu sou contra o aborto”. Sem que eu pergunte, emenda: “Mas voce quer saber do Cunha? Eu nao apoiei o Eduardo Cunha para presidente da Camara so porque ele era evangelico. Nao basta ser evangelico e eu presbiteriana para eu votar se acho que a postura dele como politico nao e boa pra representar a Camara e nao e boa para o Brasil. Fui uma das poucas deputadas evangelicas que nao votou nele. Fizeram reunioes com os membros da bancada pra apoiar, mas eu nao participei. Nao gosto do estilo dele de fazer politica. Ele usa chantagem pra conseguir vantagens, e o chanteageador geral da Republica. O Eduardo e considerado um deputado muito temido aqui. Dizem que ele e vingativo, que tem um temperamento dificil. E ele ainda tem muito apoio aqui apesar dos escandalos”.

DEIXE UMA RESPOSTA