Segundo BC, Brasil já pode pagar a dívida externa

0
126

BRASÍLIA – Agora é oficial. O Brasil passou a ser credor em dívida externa tanto do setor público quanto privado, informou o Banco Central nesta quinta-feira. Ou seja, todos as reservas internacionais e ativos que o país possui, são maiores que a dívida externa tanto dos governo ou de empresas. Isso ocorreu em janeiro, segundo a autoridade monetária, devido ao fortalecimento das reservas internacionais. Ao todo, o estoque da dívida deve ter fechado negativo em mais de US$ 4 bilhões no mês passado, indicando que o país tornou-se credor.

Com o desempenho das reservas em janeiro, segundo informou o BC pelo seu relatório Focus divulgado nesta quinta-feira, “já se estima que esse montante (estoque da dívida) se tornará negativo em mais de US$ 4 bilhões, significando que, em termos líquidos, o país passou a credor externo, fato inédito em nossa história econômica.”

Ser credor, avaliam os especialistas, reduz em muito a percepção de risco do país, que está a um passo de se tornar “grau de investimento”.

A dívida externa líquida somava US$ 165,2 bilhões no final de 2003. Ao longo dos últimos quatro anos, o fortalecimento das reservas internacionais e o programa de recompra da dívida externa e de antecipação de pagamentos resultou na redução desse montante.

Apenas no ano passado, as reservas internacionais cresceram 110% e chegaram a US$ 180,3 bilhões no final de dezembro.

“A análise dos resultados observados pelo setor externo da economia brasileira nos últimos anos e seus impactos nos indicadores de sustentabilidade externa mostram um inquestionável fortalecimento da posição externa do país”, avaliou o BC no documento.

“Em resumo, diante de um cenário internacional por aumento considerável na incerteza, pela volatilidade dos mercados financeiros e desaceleração da atividade econômica, a melhoria desses indicadores tende a mitigar, embora sem anular por completo, o impacto de eventos externos adversos.”

da Reuters

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA