PARA REFORMA – Equipe de engenheiros da Seinf avalia estrutura do Ginásio Totozão

0
142

Além do Ginásio Totozão, a equipe da Seinf também verificou a situação do Estádio Canarinho

A equipe técnica constatou que a estrutura física do prédio não está comprometida, necessita apenas de reformas / Foto: Secom/RR /

As condições físicas do Ginásio Poliesportivo Vicente Ítalo Feola, o “Totozão” foram avaliadas por uma equipe de engenheiros especialistas em estrutura da Seinf (Secretaria de Infraestrutura), nesta terça-feira, dia 22. A partir de agora, a equipe vai se concentrar na elaboração de um projeto para a reforma do local.

De acordo com o titular Edilson Damião Lima, a situação do ginásio é melhor do que a esperada e que a estrutura física do prédio não está comprometida.

“Depois dessa visita nós ficamos mais tranquilos porque podemos perceber que o problema é menor do que o esperado. O maior problema do Totozão é o tamanho. É um ginásio grande feito para 10 mil pessoas, e muita coisa foi roubada”, afirmou.

As luminárias e o piso da quadra que era de ‘taco’ não existem mais. Segundo a avaliação prévia seriam necessários cerca de R$ 3 milhões para reformar o Totozão.

“As instalações elétricas, hidráulicas, a parte da drenagem. Tudo que deixa o Totozão não funcional. O próximo passo é elaborar o projeto para angariar recursos através de emendas parlamentares federais para realizar a obra”, explicou o secretário.

Em 2017, parte dos alojamentos que ficam na parte inferior do prédio pegou fogo. De acordo com o secretário, ‘o problema não é algo tão complexo que não pode ser resolvido com uma reforma’.

A visita ao Totozão faz parte de uma série de visitas que a Seinf está fazendo aos prédios do Governo em situação de abandono.

NO CANARINHO

O governador de Roraima Antônio Denarium visitou as obras o Estádio Canarinho. Inicializada em 2012, o Estádio era pra ser utilizado como subsede da Copa do Mundo de 2014. O projeto foi orçado no valor de R$ 30 milhões, já foram utilizados R$ 21 milhões, restam R$ 9 milhões conforme explicou Denarium.

“Devido estar há mais de seis anos em andamento, a obra hoje tem a necessidade de ser aditivada, e precisa de pelo menos mais R$ 7 milhões para ser entregue a população. Então vamos ao Ministério da Educação e do Desporto realocar o projeto para que tenhamos condições de entregar essa importante obra para a população ainda em 2019”, esclareceu.

DA REDAÇÃO

Comentários