Se Maduro decidir retaliar Bolsonaro, Roraima corre risco de apagão

0
458
Localizado na fronteira do Brasil com a Venezuela, o estado de Roraima não está conectado ao sistema nacional e depende da energia do país vizinho / Foto: Divulgação /

Se Nicolás Maduro decidir retaliar Jair Bolsonaro por ter apoiado um “golpe de Estado” na Venezuela, Roraima corre o risco de sofrer um apagão energético ou um duro racionamento. Mais da metade do Estado é dependente da hidrelétrica de Guri, no norte da Venezuela.

O resto do Estado vive de energia produzida por termelétricas. Segundo a Folha desta sexta (25), o governo Temer licitou a construção de mais uma unidade produtora, mas ela não ficaria pronta antes de 6 meses.
Por conta da crise econômica na Venezuela, Roraima já vem sofrendo cortes de energia. Da parte do governo Maduro, há falta de manutenção na rede hidrelétrica que tem comprometido o serviço. Da parte do Brasil, o pagamento feito à Venezuela pela energia tem sido muito baixo, afirma a Folha.
Ainda de acordo com a reportagem, tirando a dependência energética de Roraima, uma retaliação de Maduro pela posição de Bolsonaro não teria outros impactos relevantes para o Brasil. Leia mais aqui.
FONTE: JORNAL GGN
Comentários