Bope orienta população de como agir em uma abordagem policial

0
509

Por meio da abordagem que a polícia consegue trazer sensação de segurança maior para a sociedade / Foto: Elinaldo Santos /

A abordagem policial é uma forma de verificar e averiguar atitudes suspeitas. Com a colaboração da população, ela pode ser simples e rápida. É por meio dela que a polícia pode identificar os criminosos, apreender armas e drogas, a até evitar crimes.

O subcomandante do Bope (Batalhão de Operações Especiais) da PMRR (Polícia Militar de Roraima), 1º tenente Augusto Oliveira Feitoza Feitosa passou orientações de como o cidadão deve agir em uma abordagem policial.

“A gente pede a colaboração do cidadão para que obedeça a ordem do comandante. O pedestre deve abrir as pernas e passar por uma revista simples, porque é uma abordagem de verificação. A maior observação que a gente faz é não levar a mão à linha da cintura porque isso representa uma situação de risco para o policial por não cumprir a determinação do comandante de colocar a mão na cabeça”, explicou.

O tenente informou ainda que quando o cidadão abordado estiver em uma motocicleta, deve parar o veículo assim que ouvir a ordem do policial, desligar a motocicleta e descer com as mãos na cabeça.

“É importante que o motociclista não tente tirar o capacete. Ele deve caminha para trás da moto e passar pela revista”, enfatizou.

Em um carro, o motorista deve encostar após ser dada a ordem de parada, desligar o veículo, colocar as mãos para fora, abrir a porta e sair com as mãos na cabeça.

“Se o veículo tiver quatro portas, ao passar o motorista deve abrir a porta traseira e se posicionar atrás do carro. Do mesmo modo deve proceder os passageiros do carro, obedecendo as ordens do comandante da guarnição”, informou Feitosa.

De acordo com o subcomandante do Bope, essa abordagem é de verificação dos objetos, se o veículo não tem restrição de roubo, se não tem armamento ou drogas ilícitas. Obedecendo as ordens da polícia e se não houver nada de errado, o cidadão abordado é liberado.

“Não tem como os policiais saberem quem é criminoso e quem é cidadão de bem, por isso que é feita a abordagem. O nosso intuito principal é alinhar o nosso serviço de segurança pública com o cidadão de bem, para que essa abordagem seja apenas de verificação”, afirmou.

É dentro da abordagem que a polícia consegue trazer uma sensação de segurança maior para sociedade, além de conseguir recuperar vários bens que foram roubados, retirar armas das ruas, recapturar foragidos e evitar que alguns crimes sejam cometidos.

DA REDAÇÃO

Comentários