VENEZUELA EM CRISE – EUA enviam aviões militares com ajuda humanitária para a Venezuela

0
240
Na cidade colombiana de Cúcuta fica um dos três pontos de recebimento e armazenamento de mantimentos e remédios para os venezuelanos; os outros dois estão em Roraima e Curaçao / Foto: Agência EFE /

Os Estados Unidos enviaram neste sábado, 16, três aviões militares com ajuda humanitária para a Venezuela, dando continuidade à pressão exercida pelo governo americano sobre o presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

Os três Boeing C-17 decolaram pela manhã da base aérea de Homestead, ao sul de Miami, com destino à cidade colombiana de Cúcuta, na fronteira com a Venezuela, carregando alimentos, itens de higiene pessoal e primeiros socorros, segundo informou o jornal “Miami Herald”.

A ajuda chegou na tarde do mesmo dia à cidade colombiana, onde está o diretor da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (Usaid), Mark Green. O deslocamento dos aviões foi anunciado na sexta-feira passada pelo Departamento de Estado americano.

De acordo com o porta-voz da agência, Robert Palladino, este novo envio de ajuda é uma “demonstração do compromisso dos EUA com o povo da Venezuela”, especialmente com as “populações mais vulneráveis”.

Em Cúcuta fica um dos três pontos de recebimento e armazenamento de mantimentos e remédios para os venezuelanos. Os outros dois estão em Roraima e Curaçao.

Na sexta-feira, o líder opositor Juan Guaidó, chefe do Parlamento venezuelano e autoproclamado presidente interino da Venezuela, anunciou pelo Twitter a criação de um novo centro de armazenamento de ajuda humanitária em Miami, após o apelo feito à comunidade internacional.

Guaidó diz que ajuda humanitária “está nas mãos” dos militares

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, afirmou neste sábado, 16, através de uma rede social, que “está nas mãos” dos militares a entrada de ajuda humanitária dos Estados Unidos na Venezuela.

A entrada da ajuda está prevista para o dia 23 próximo. As redes sociais têm grande importância no país, uma vez que os venezuelanos estão impedidos de realizar chamadas telefônicas para o exterior.

Juan Guaidó

Juan Guaidó disse que ajuda humanitária americana depende dos militares da Venezuela Foto: Juan Guaidó/Redes Sociais/Direitos Reservados /

Militares reforçam uma espécie de bloqueio na ponte fronteiriça entre Venezuela e Colômbia.

A ação ocorre no momento do impasse entre o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e o interino, Juan Guaidó. O interino promove uma campanha internacional para angariar ajuda humanitária.

Porém, com o bloqueio, a dificuldade para o ingresso de doações aumenta. De acordo com informações da Andina, agência pública de notícias do Peru, há contentores na ponte Tienditas, que liga os locais de Cúcuta (Colômbia) e Urena (Venezuela).

FONTES: AGÊNCIA EFE e AGÊNCIA BRASIL

Comentários