ESCOAMENTO – Balsa volta a atender moradores da Vila do Passarão e comunidades indígenas

0
259

A balsa estava parada há alguns dias devido a falhas no motor, que enfrentava dificuldades para realizar a travessia com baixo nível de água

A Seapa contou com o apoio do Iteraima e do Exército Brasileiro para reestabelecer o funcionamento da embarcação / Foto: Raimundo Lima /

Na manhã deste sábado, dia 6, a balsa do Passarão, que interliga a região da Vila Passarão a 27 comunidades indígenas do Baixo São Marcos, voltou a funcionar.

Em um esforço conjunto com o Iteraima (Instituto de Terras e Colonização de Roraima) e com o Exército Brasileiro, a Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) reparou o motor da embarcação, que deixou de funcionar devido ao esforço para atravessar o rio Uraricoera no período de estiagem, com o nível de água reduzido.

O titular da Seapa, Emerson Baú, explicou que o apoio do Iteraima e do Exército Brasileiro foi de fundamental importância para que a balsa voltasse a funcionar.

“Sem essa parceria não teríamos dado de conta de solucionar o problema com tanta agilidade. Agora, os moradores e produtores da região podem voltar a utilizar a embarcação, acabando com os transtornos”, disse.

A balsa ficou sem operar por cerca de uma semana. Nesse período, os moradores da região efetuavam a travessia apenas em canoas e embarcações de pequeno porte. Já para o escoamento de produção e a entrada e saída de veículos, a única alternativa era uma estrada que levava até os municípios de Normandia e Bonfim, o que aumentava o percurso em 80 quilômetros.

O titular da Seapa, Emerson Baú, explicou que enquanto a balsa ainda estava operando, antes da interrupção no serviço, o horário de funcionamento já havia sido reduzido.

“Antes, a travessia era feita das 6h às 20h. Desde o dia 1º de março, a embarcação passou a atender somente até as 18 horas. Caso houvesse algum imprevisto, poderia ser solucionado ainda na luz do dia”, detalhou.

DA REDAÇÃO

Comentários