INCLUSÃO SOCIAL – Academia de Polícia Integrada vai realizar curso de Abordagem Policial para Pessoas Surdas

0
307
Ação vai atender ao público surdo e facilitar o acesso à política de segurança / Foto: Divulgação /

Para subsidiar as ações policiais nas práticas de abordagens às pessoas com surdez, a APICS (Academia de Polícia Integrada Coronel Santiago) vai realizar uma ação inédita no Estado, que é preparar os profissionais de segurança, no atendimento a esse público.

A capacitação prevê a padronização neste atendimento diferenciado, por meio de um Manual Específico de Orientações de Abordagem Policial a Pessoa Surda. As aulas serão teóricas e práticas e devem ocorrer em maio deste ano, com a participação de 20 policiais.

A diretora da APICS, delegada Giuliana Castro, destacou que foi identificada a dificuldade no atendimento às pessoas com surdez nas unidades policiais, por falta de capacitação dos profissionais de segurança a esse público específico.

Ela observou que para promover a inclusão social, a ideia é estabelecer uma doutrina no atendimento, por meio de Libras [Língua Brasileira de Sinais], entre o policial e a pessoa surda, primando sempre pelo respeito aos direitos humanos. O trabalho conta com uma parceria da Seed (Secretaria de Educação e Desporto) e PMRR (Polícia Militar de Roraima).

MOTIVAÇÃO

A capacitação aos profissionais de segurança em Libras surgiu após um trabalho de conclusão de Cursos de Formação de Oficiais, apresentado pelo 1º tenente Frankeslane Sampaio Barbosa. Foi identificado, que pela natureza de sua atividade, o policial tem o dever de estar preparado para atuar em quaisquer atividades estando envolvidas ou não, as pessoas com deficiência.

Para preparar os profissionais de Segurança Pública, a direção da APICS pretende possibilitar o aprendizado teórico, acerca da legislação, quanto aos direitos e deveres do cidadão surdo. Também vai proporcionar um treinamento prático, para que o policial que atua na linha de frente na prevenção e combate à criminalidade possa estabelecer a comunicação por meio de Libras. Outra meta, é que o policial possa adotar o Manual Específico de Orientações de Abordagem Policial a Pessoa Surda, como ferramenta de consulta, caso ocorra alguma dúvida durante a abordagem policial.

A previsão é de que no mês de maio ocorra a capacitação para a primeira turma com 20 policiais, com carga horária de 24 horas. O curso será ofertado aos Policiais Civis, Militares, Federais, Rodoviários Federais, Guardas Civis Municipais e outras Instituições de Segurança, visando uma maior integração entre as forças de Segurança Pública.

“O papel da Academia de Polícia é identificar as novas demandas sociais e buscar alternativas para preparar os policiais a essas questões. Elaboramos a matriz curricular e já temos as condições de iniciar a capacitação. É um trabalho inédito em Roraima e dentro da estrutura do curso, os policiais terão a oportunidade de vivenciar essas experiências e aplicar no cotidiano do trabalho policial”, destacou Giuliana Castro.

MATRIZ CURRICULAR

Durante o curso os policiais terão a oportunidade de serem capacitados nas seguintes disciplinas: Legislação aplicada à pessoa com deficiência; aspectos legais de abordagem policial; conhecimentos básicos de Língua Brasileira de Sinais; Noções de abordagem policial; Comandar em Libras para Abordagem Policial e Prática de abordagem policial a pessoa surda.

DA REDAÇÃO

Comentários