FNO – Banco da Amazônia amplia para R$ 500 milhões aporte de recursos para Roraima

0
307

Os recursos disponibilizados por meio de linhas de crédito do FNO vão impulsionar o desenvolvimento do setor primário em Roraima

Em março, foram disponibilizados R$ 282 milhões, por meio de um protocolo de intensões assinado com o Governo do Estado / Foto: Neto Figueredo /

O desenvolvimento do setor primário é uma das principais metas do Governo do Estado para modificar a matriz econômica de Roraima. Pensando em alavancar esse crescimento, no mês de março, o Estado assinou um protocolo de intenções com o Banco da Amazônia que disponibilizava mais de R$ 282 milhões, relativos ao plano de aplicação do FNO (Fundo Constitucional de Financiamento do Norte).

Durante o evento da largada do plantio de grãos e fibras, safra 2019, nesta quarta-feira, dia 15, na fazenda Vista Montanha, no município de Bonfim, o governador Antonio Denarium anunciou que após um pedido, o Banco da Amazônia vai ampliar para R$ 500 milhões o aporte de recursos destinados pelo FNO.

Denarium destacou que além de boa infraestrutura de estradas e vicinais, o produtor rural também precisa de acesso aos bancos.

“Em março recebemos o presidente do Banco da Amazônia, que anunciou um investimento superior a R$ 280 milhões no Estado. Após um pedido nosso, ele aumentou esse limite para R$ 500 milhões. Ou seja, juntos a Seapa [Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento] e Pastas afins vão auxiliar os produtores a acessarem esse crédito, desde o agricultor familiar, até o empresarial”, disse.

O FNO disponibiliza crédito com taxa de juros menor, que tem por finalidade facilitar o processo de aquisição de máquinas e equipamentos ao produtor rural, possibilitando o desenvolvimento da produção e fortalecimento da economia do Estado.

O superintendente regional do Banco da Amazônia, André Vargas, explicou que o empenho do Governo do Estado é fundamental nesse processo.

“Quando se pensa em política de aplicação de recurso, é necessária a participação ativa de todos os atores, em especial do Governo do Estado, que tem acreditado e apostado bastante no agronegócio. Da mesma forma o Banco da Amazônia e demais instituições financeiras de crédito vêm direcionando energia nesse sentido”, pontuou.

Ele adiantou ainda que somente para o cultivo de soja, já estão aprovados mais de R$ 40 milhões em contratos. “Em termos de prospecções temos mais R$ 100 milhões em operações sinalizadas ainda para o primeiro semestre deste ano e também para o segundo”, disse Vargas.

Produtores assinam contratos para liberação de R$ 19 milhões em crédito

Além do anúncio da ampliação do aporte de recursos destinados pelo FNO, o Banco da Amazônia também liberou R$ 17 milhões de um total de 18 operações de crédito, que atendem desde a agricultura familiar ao grande produtor rural.

FINANCIAMENTO

Um dos contraentes foi o empresário e engenheiro agrônomo Marcos Paulo Viacelli. Ele financiou junto ao Banco da Amazônia a quantia de R$ 852 mil para a compra de maquinário que vai auxiliar no plantio de grãos na propriedade dele, localizada na região do Bom Intento, zona Rural de Boa Vista.

“Esse financiamento é essencial, pois hoje, os agentes financeiros são primordiais para o produtor rural. Esse crédito facilita muito a expansão de área e investimentos. Acreditamos no potencial e no futuro do Estado e estamos entrando de cabeça”, declarou.

Banco do Brasil libera R$ 2 milhões em crédito para o setor primário

O Banco do Brasil também esteve presente no evento e liberou mais R$ 2 milhões em crédito para investimentos no setor primário.

O vice-presidente do Banco do Brasil, Ivandré Montiel da Silva, afirmou que a assinatura de R$ 2 milhões em contratos de crédito é simbólica, pois a relação da instituição financeira com o desenvolvimento do setor primário em Roraima vai muito além disso.

Ele afirmou que somente no agronegócio em Roraima, o apoio do Banco do Brasil ultrapassa a casa dos R$ 400 milhões.

“Na última safra atingimos a marca de R$ 90 milhões de crédito para os produtores rurais. Roraima é um Estado com potencial, prova disso são alguns fatores fundamentais. O primeiro é a natureza, Roraima tem serras, sol e água. O segundo é tecnologia, aqui tem sementes, máquinas e equipamentos. O terceiro são produtores rurais dispostos a trabalhar e o quarto fator é o crédito, onde se consegue transferir a tecnologia dos laboratórios das lojas para os produtores rurais”, declarou.

DA REDAÇÃO

Comentários