NOVOS INVESTIMENTOS – Produtores do Paraná conhecem fazendas em Roraima

0
285
O grupo, do Paraná, despertou interesse em investir no agronegócio em Roraima / Foto: Eides Antonelli /

Um grupo de produtores de Ponta Grossa, no Estado do Paraná, visitou durante a quinta-feira, 20, fazendas dos municípios de Mucajaí e Iracema a fim de conhecer as potencialidades da região.

A visita foi acompanhada por uma equipe técnica do Governo do Estado, que contou com a presença do governador Antonio Denarium, além do diretor-presidente do IACTI (Instituto de Ampara à Ciência, Tecnologia e Inovação), Aluízio Nascimento, do secretário de Agricultura e Assuntos Indígenas  da Prefeitura de Boa Vista, Marlon Buss, e o pecuarista José Lopes.

As propriedades visitadas na tarde desta quinta-feira, 20, concentram produção de soja, de criação de bovinos, e de piscicultura.

Na oportunidade, Denarium destacou o trabalho que o Governo do Estado está realizando para desenvolver Roraima. “Estamos trabalhando para que Roraima cresça, se desenvolva. Valorizando os empreendedores que aqui estão e, atraindo novos investidores. Desta vez, estamos com a comitiva que veio de Ponta Grossa, Estado do Paraná, para conhecer o potencial produtivo do Estado”, disse.

“Estamos mostrando o potencial produtivo do Estado de Roraima. O Dr. Cunha, da Cescage, vem para Roraima para investir, especialmente em genética bovina, melhoria da qualidade genética”, ressaltou o governador.

O empresário das Faculdades Cescage (Centro de Ensino Superior dos Campos Gerais),  Fagundes Cunha, lembrou que o plantio direto da soja, nasceu em Ponta Grossa. “Foram Nono Pereira e seus agrônomos que desenvolveram o plantio direto no Brasil. A soja que abriu o cerrado é a soja cristalina, desenvolvida por Francisco Terasawa, e está em todo o cerrado do País”.

Cunha falou da alegria de ver que a soja plantada aqui, é da FT Sementes [Francisco Terasawa].  “Ponta Grossa já está em Roraima, gerando progresso e desenvolvimento. Não vamos transferir só tecnologia na área de pecuária. Vamos trazer através do Ensino à Distância integração lavoura, pecuária, floresta, plantio direto, o desenvolvimento de sementes, um curso Superior Tecnológico  em Gestão de Agronegócio”, explicou.

Ele ressaltou que se reuniu, na quarta-feira, 19, com a secretária da Seed [Secretaria de Educação e Desporto] Leila Perussolo, para tratar de implantação de cursos no Estado.

“Vamos transferir a tecnologia que existe na Região dos Campos Gerais, não só por meio dos Institutos de Pesquisa e do parque tecnológico que temos, mas por meio do IAPAR [Instituto Agronômico do Paraná], trazendo a pesquisa do café para Roraima, um projeto meu, além de todas as culturas, laboratórios de reprodução”, disse, ao acrescentar que “vários agricultores pediram para trazermos um laboratório para análise de solo”.

“Temos a maior nota em Ensino à Distância do País. Nota 5. Nossa especialidade é o agronegócio. Estamos trazendo além do curso Superior e Tecnológico em Agronegócio, o Colégio Técnico em Agropecuária semipresencial, curso de Medicina Veterinária; curso de Especialização em Plantio Direto ; integração lavoura, pecuária , floresta;  criação de gado de corte e criação de gado de leite”, explicou Cunha.

UNIVIRR – Ele falou da visita à Univirr ( Fundação Universidade Virtual de Roraima), que, na ocasião, foi discutido com o reitor da instituição um projeto que será implantado em 15 Polos  de Roraima, além de Boa Vista. “No Interior, já temos todos os Polos definidos onde vamos instalar nosso sistema de Educação à Distância, faltando só a Capital”, explicou, ao adiantar que a previsão é começar no início de 2020.

O empresário Marcelo Zimovisk ficou fascinado com o potencial que o Estado de Roraima oferece.  Disse que têm pretensões de investir em Roraima. “Viemos à convite do Governo do Estado. Para mim, foi uma surpresa, porque não tínhamos noção do que é o Estado de Roraima. Vejo um enorme potencial em todas as áreas. É um Estado com muitas aptidões. Estou encantado”, afirmou, ao acrescentar que,  “o Brasil e o brasileiro não sabem o Estado que tem aqui, no Norte”.

T Adiantou que pretende investir na área da piscicultura, em gado de corte e, possivelmente, na agricultura. “Estou muito otimista com o Estado e vejo que aqui é o futuro. O Brasil acontece aqui”, afirmou.   

A comitiva visitou as fazendas São José, do pecuarista José Lopes, e Prateada, de Ermílo Palludo.

DA REDAÇÃO

Comentários