Grupo que fraudava empréstimos da Caixa é alvo de ação em Roraima

0
96
Estagiário da instituição era o mentor do esquema que causou rombo de quase meio milhão de reais / Foto: Divulgação /

O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu ação de improbidade administrativa contra treze pessoas por fraudar empréstimos de altos valores na Caixa Econômica Federal em Roraima. Em apenas dois meses, o grupo conseguiu liberar irregularmente um montante que soma, em valores atualizados, R$ 468 mil.

O esquema foi idealizado por um estudante que trabalhou como estagiário na Caixa Econômica Federal de 2011 a 2012. Ele oferecia a amigos e familiares a possibilidade de liberação de empréstimos em valores superiores aos permitidos. Para viabilizar a transação, eram falsificados contracheques para aumentar a renda de solicitantes. Com a fraude, os valores liberados chegavam a R$ 55 mil por pessoa.

Com os documentos fraudulentos, o estagiário usava a senha de superiores para autorizar a transação e fazer o depósito em contas-correntes dos envolvidos. Em contrapartida, o estudante exigia uma parcela do dinheiro.

“Após a concessão do empréstimo, os valores eram sacados pelos requeridos, cujo montante jamais fora quitado perante a instituição financeira. Os requeridos, em nenhum momento, cogitaram fazer qualquer tipo de pagamento à Caixa, o que demonstra, de forma inequívoca, o intuito dos agentes em se apropriar indevidamente do dinheiro público”, descreve a ação.

Também foi oferecida a ação contra os dois empregados da Caixa cujas senhas foram utilizadas pelo estagiário. A investigação apontou que os dois não se beneficiaram dos repasses, mas agiram de forma temerária ao permitir que o estudante tivesse acesso aos sistemas do banco que são de uso exclusivo dos servidores.

Além da condenação por improbidade administrativa, o MPF pede que os acusados tenham os bens bloqueados para garantir o ressarcimento ao erário.

FONTE: PORTAL MPF

Comentários