OPERAÇÃO AMBITUS – Presidente da CMBV e assessores são investigados por crime de compra de votos nas eleições de 2016

0
461
A PF cumpriu três mandados de busca e apreensão na residência e no gabinete de Mauricélio Fernandes, além da Presidência da CMBV / Foto: Folha BV /

O presidente da Câmara Municipal de Boa Vista (CMBV), vereador Mauricélio Fernandes (MDB), foi surpreendido nesta manhã com a deflagração da “Operação Ambitus”, da Polícia Federal, que investiga os crimes de compra de votos e associação criminosa nas eleições municipais de 2016.

A PF cumpriu três mandados de busca e apreensão na residência e no gabinete do vereador, além da Presidência da CMBV. Mauricélio Fernandes e outros três assessores foram conduzidos à sede da Polícia Federal, onde prestam depoimento neste momento.

Na CMBV, o clima é tenso entre os vereadores ligados ao presidente Muricélio Fernandes – entre eles o vice-presidente, Júlio Medeiros (PODE) -, que relutam em seguir com os trabalhos da Casa normalmente, e os demais, que entendem se tratar de um problema pessoal do presidente.

Em reunião na Presidência, o clima esquentou e Júlio Medeiros saiu da sala alterado, afirmando: “Vou mostrar onde tem crime organizado nesta Casa”, apesar de o caso envolvendo o presidente seja de compra de votos. Nos corredores, Medeiros passou pela imprensa afirmando: “Vou acabar com o Renato e Marcelo Cabral”. Marcelo Cabral é deputado estadual, padrinho político do vereador Renato Queiroz.

Dos 21 vereadores, permanecem no Plenário, a favor que os trabalhos sigam normalmente, apenas Linoberg Almeida (REDE), Dr. Wesley (PCdoB), Renato Queiroz (MDB), Dra. Magnólia (PRB), Zélio Mota (PSD), Nilvan Santos (PSC), e Pastor Jorge (PSC).

Mais cedo, a PF emitiu nota sobre a operação.

Veja o que diz a nota:

OPERAÇÃO AMBITUS
A Polícia Federal em Roraima deflagrou a Operação AMBITUS, nesta manhã, com objetivo de concluir investigação que apura esquema criminoso de captação ilícita de sufrágio, a popular “compra de votos” e associação criminosa nas eleições de 2016 para vereador em Boa Vista/RR. Estão sendo cumpridos 03 (três) Mandados de Busca e Apreensão em Boa Vista/RR. Os mandados foram deferidos pela Justiça Eleitoral após representação em Inquérito Policial.
A prova coletada pela Polícia Federal aponta pagamentos de valores de cem reais na véspera das eleições de 2016 a eleitores que prometessem voto em favor do vereador investigado.
Os investigados estão sendo interrogados e indiciados na Polícia Federal em Roraima, pelo crime do artigos 299 do Código Eleitoral e 288 do Código Penal, que preveem penas de até sete anos de reclusão. As investigações continuam, com análise do material apreendido durante a operação. O resultado será encaminhado à Justiça Eleitoral.
Não haverá entrevista e/ou coletiva. O nome da operação remete ao crime de corrupção política na Roma antiga.

WIRISMAR RAMOS – da Redação (e-mail: wirismar@gmail.com)

Comentários