CRISE MIGRATÓRIA – Remídio acompanha ações realizadas pela Força Tarefa em Roraima

0
50
Na reunião, o parlamentar ressaltou necessidade da destinação de recursos do Governo Federal para amenizar a sobrecarga dos serviços na área da saúde e educação / Foto: Ascom /

Os deputados federais de Roraima, que integram a Comissão Externa da Crise da Venezuela da Câmara dos Deputados, participaram nesta quinta-feira (10) de uma reunião com o Chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, Coronel Georges Feres Kanaan, na 1ª Brigada de Infantaria da Selva, em Boa Vista, para acompanhar o andamento das ações de contenção dos efeitos da crise migratória realizada pela Força-Tarefa Logística e Humanitária em Roraima.

O deputado Remídio Monai (PR), relator da Comissão, voltou a expor sua preocupação com os impactos causados pelo aumento do fluxo de imigrantes em Roraima. “Diante do que foi apresentado, acredito que as ações da Operação Acolhida estão bem encaminhadas e parabenizo atuação e eficiência do Exército Brasileiro. No entanto, a preocupação é com relação à animosidade cada vez mais crescente entre brasileiros e venezuelanos e o aumento da criminalidade no estado”.

O Coronel Georges Feres Kanaan afirmou que foram mapeados 10 mil venezuelanos em Roraima e desses sete mil estão desassistidos. “Conseguimos acolher quatro mil pessoas e cerca de duas mil ainda permanecem nas ruas. A previsão, até o fim do ano, é acolher mais 1500 e transferir 500 venezuelanos por mês para outros estados”, afirmou.

Na reunião, o parlamentar ressaltou necessidade da destinação de recursos do Governo Federal para amenizar a sobrecarga dos serviços na área da saúde e educação.

“O plano apresentado pela força-tarefa está centrado no acolhimento aos refugiados e muitos avanços já foram feitos. Falta ainda uma injeção de recursos do Executivo Federal, a fim de amenizar os prejuízos para a população de Roraima. Na educação, tivemos um aumento de 400% no total de imigrantes matriculados. De acordo com os dados fornecidos pela Secretaria Estadual de Saúde, desde 2014, houve um aumento de 6.500% no número de atendimento. O que representa um custo adicional de R$ 70 milhões. Porém, esta demanda ficou apenas sob a responsabilidade do governo estadual”, salientou Monai.

A comitiva realizou visitas aos abrigos, onde estão acolhidos os venezuelanos, acompanhados pelo Coronel Georges Feres Kanaan, da presidente do Conselho de Medicina de Roraima, Dra. Blenda Avelino Garcia e do prefeito do município de Pacaraima, Juliano Torquato.

DA REDAÇÃO

Comentários