ELEIÇÕES 2018 – Advogado de Romero Jucá nega intenção de pedir recontagem de votos

0
669

Resultado para a segunda vaga de senador foi por uma diferença mínima de 426 votos

Os boatos sobre a suposta insatisfação do senador Romero Jucá e a intenção de pedir recontagem de votos tomaram corpo neste fim de semana / Foto: Marcelo Camargo – Agência Brasil /

O advogado Emerson Delgado, que representa o senador Romero Jucá (MDB-RR) desmentiu que exista um pedido de recontagem de votos pronto para ser protocolado nesta segunda-feira, 22, no Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR). O Fato Real ouviu Delgado após uma fonte idônea e confiável informar que Jucá contestaria o resultado da eleição para o Senado.

Pelo menos oficialmente e por meio de seu advogado, em princípio Jucá não faria isso, sem prejuízo de outros meios que a Legislação Eleitoral permite (qualquer partido político pode ter essa iniciativa).

Boatos alimentaram essa especulação a partir de sexta-feira, 19, porque o prazo para esse pedido ser oficializado termina justamente na segunda-feira. Romero Jucá foi derrotado pelos candidatos e agora senadores eleitos Chico Rodrigues (DEM) e Mecias de Jesus (PRB). A disputa mais acirrada, urna a urna, voto a voto, foi com Mecias que ao final da apuração venceu Jucá pela diferença de 426 votos.

A disputa pela segunda vaga de senador em Roraima foi igualmente acirrada no Amazonas, onde o senador Eduardo Braga (MDB-AM) foi eleito por uma diferença mínima de votos, levando em conta que ao contrário de Roraima, que tem menos de 300 mil eleitores, o Amazonas tem 2.428.098 eleitores e ao final da apuração Braga obteve 607.286 – 18,45% – e o terceiro colocado Luiz Castro Andrade Neto (REDE) obteve 581.553 – 17,66%. Em Roraima Mecias obteve 17,43% – 85.366 votos e Romero Jucá ficou com 17,34%, 84.940 votos.

Seria um caso inédito

Se na segunda-feira vier a ser confirmado o pedido de recontagem dos votos, será o primeiro caso no Brasil nas eleições de 2018, onde até agora não foi registrado nenhum pedido, com nenhum dos derrotados questionando o resultados das eleições, em nenhum dos estados, em nenhuma das disputas.

Auditoria

Pelo atual sistema (urnas eletrônicas) sequer existe a possibilidade técnica de haver a recontagem dos votos, o que foi feito, por exemplo, em 2014, através de um pedido do PSDB (Aécio Neves) que perdeu para Dilma Rusself por uma diferença mínima, foi uma Auditoria nos arquivos (dados digitais) da apuração. Ao final da auditoria o PSDB acatou oficialmente o resultado.

No caso de Roraima, o próprio senador Romero Jucá disse, em entrevista nos meios de comunicação de sua família, que perder por um voto ou mais não faria diferença e que ele vai cumprir o restante de seu mandato e tocar a vida, inclusive buscando trabalho como economista, sua formação acadêmica.

WIRISMAR RAMOS – da Redação (wirismar@gmail.com)

Comentários