FARSA DESMASCARADA – Autônomo denuncia montagem de áudios pela oposição para denegrir imagem do Governo

O autônomo Wesley Queiroz afirma que foi vítima de armação, tendo seu nome envolvido em montagens de áudios gravados sem sua autorização / Foto: Divulgação /

Que a oposição à atual gestão vem ‘tocando o terror’ contra a governadora Suely Campos, desde sua posse em janeiro de 2015, todo mundo está ‘careca de saber’. Desde então, uso das redes sociais por ‘fakes’ e pseudojornalistas, pagos com dinheiro público, por parlamentares contrários ao Governo para disseminar mentiras tem se tornado cada vez mais frequente.

Na grande maioria dos casos, são denúncias vazias, inverídicas, factoides criados simplesmente para tentar jogar a opinião pública contra a governadora, que caem por terra às vezes até no mesmo dia. O último caso acaba de ser desmentido, inclusive com documento assinado em cartório.

Tudo começou pelo depoimento do advogado Ben-Hur Souza da Silva à Polícia Federal no dia 10 de julho último, afirmando – em síntese – que a empresa QUALIGOURMET SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO LTDA., contratada pelo Governo de Roraima para “fornecer marmitas e alimentação” para o Sistema Prisional, estaria em nome de ‘laranjas’ e que seu verdadeiro proprietário seria Guilherme Campos, filho da governadora.

Dentre os supostos ‘laranjas’, o advogado cita o nome do autônomo Wesley Addley Gomes Queiroz. O depoimento de Ben-Hur da Silva tem servido, nas últimas semanas, de combustível para alimentar os ‘noticiários’ dos veículos de comunicação ligados ao senador Romero Jucá (PMDB-RR) – citado diversas vezes nos depoimentos de delatores como um dos cabeças dos desvios de recursos públicos investigados pela Operação Lava Jato – e deputados estaduais da oposição.

A farsa veio à tona na manhã desta segunda-feira (7), quando Wesley Queiroz decidiu desmascarar o advogado e os demais envolvidos, por meio de uma declaração assinada em cartório (CLIQUE AQUI para ler o documento na íntegra).

No documento, Wesley Queiroz afirma que tudo começou quando ele procurou o advogado Ben-Hur Silva para receber de volta o investimento feito como sócio da empresa QUALIGOURMET.

O autônomo revela que teve seu nome levianamente incluso no esquema que tentou montado para tão somente denegrir a imagem do Governo. Ao tomar conhecimento da repercussão do caso, decidiu comparecer ao cartório para documentar sua insatisfação e constrangimento de ter o nome envolvido em montagens de áudios divulgados num programa veiculado por uma emissora de rádio local no início da manhã desta segunda-feira.

A veiculação dos áudios – que segundo Wesley Queiroz são frutos de montagens de conversas gravadas sem o seu consentimento entre ele e o advogado Ben-Hur Silva, a fim de atender aos objetivos escudos da oposição – havia sido anunciada pelo jornalista apresentador do programa radiofônico em seu perfil no Facebook, ainda no domingo (5).

De acordo com Wesley Queiroz, tudo não passou de “uma mentira arquitetada pelo advogado Ben-Hur Silva”, que teria lhe oferecido a quantia de R$ 20 mil para que ele participasse do esquema. Mesmo tendo recusado, Wesley teve o nome envolvido de maneira leviana. Sentindo-se prejudicado, o autônomo afirma que vai ajuizar ação na Justiça para contra os envolvidos para restabelecer a verdade e sua honra junto à sociedade.

Além da declaração assinada em cartório e procurar a Justiça, Wesley Queiroz também está disposto a depor no inquérito que apura o caso. Pelo que se observa, essa ‘novela’ ainda terá muitos capítulos.

WIRISMAR RAMOS – da Redação (e-mail: wirismar@gmail.com)