*

links

*

mídias

HOMENAGEM – Suely Campos é batizada na Comunidade Nova Esperança e recebe um nome Macuxi

12 abr 2017 | 0 comentário

A cerimônia ocorreu durante uma Ação Social realizada na Comunidade / Foto: Fernando Oliveira /

A mesa de autoridades foi formada. O tuxaua da Comunidade Nova Esperança, João Wapixana agradeceu a presença, destacou necessidades e fez reivindicações. Ao lado dele, Suely Campos, governadora do Estado, ouvia e anotava. Ela foi a próxima a falar. Salientou ações que levaram melhorias para comunidades indígenas da região, e colocou o secretariado a disposição para analisar os pedidos deixados ali. Ambos foram aplaudidos e ouvidos com atenção.

O que veio em seguida foi uma cerimônia que mostrou a cultura e a tradição dos índios Macuxi. Sentada, no centro do malocão, Suely teve o rosto pintado pelo tuxaua João Wapixana. Os traços avermelhados, lembrando raios do sol, ponteados de preto, simbolizam a fertilidade da mulher.

Depois foi a vez da defumação com o Maruai. A seiva da planta de mesmo nome é acesa dentro de uma vasilha. A fumaça preenche todo o ambiente, expulsando os maus espíritos e dando boas vindas à nova integrante da comunidade: Kaikusi Sokoropan. Esse é o nome de Suely Campos, que em Macuxi significa Onça Valente. Mas o significado vai além disso.

“É a mãe protetora, valente, que cuida dos filhos. É assim que vemos a pessoa da governadora, com o cuidado que ela tem por toda a população, principalmente pelos indígenas”, pontuou João Wapixana.

Mais aplausos ao fim da cerimônia, marcada pela emoção. “Fiquei muito feliz e emocionada. Em uma palavra é possível definir os povos indígenas e a cultura deles: sabedoria. Eles sabem viver em harmonia com o meio ambiente, sabem valorizar a natureza ao redor deles. Receber esse nome me deixou muito honrada, e também com a responsabilidade de continuar o trabalho no Governo, representando essa imagem de mãe protetora, de Onça Valente”, disse Suely.

AÇÃO SOCIAL

Dona Sinira Elias, 62 anos, fez careta na hora da vacina. Mateus, 11 anos, virou o rosto. “Quem é que não tem medo disso?”. A pequena Tainara de sete meses estava dormindo e só percebeu a injeção quando a agulha já tinha saído da coxa esquerda dela, deixando o choro para trás.

Reações diversas para as agulhadas que atualizaram o cartão de vacinas de quem chegava para participar da Ação Social na comunidade Nova Esperança, distante 4 km da sede de Pacaraima, que ofertou ainda testes de glicemia e malária, aferição de pressão arterial e palestras com temas variados, como fornecimento de energia elétrica.

“Pedimos que seja realizada uma Caravana do Povo na nossa região, pois temos uma demanda muito grande para os serviços que ela oferece. Uma forma de ampliar o que fazemos com as nossas ações”, pediu João Wapixana, tuxaua.

A breve discussão que se seguiu ao pedido foi sobre onde seria a melhor localidade para realizar a Caravana, para atender o maior número de comunidades. A definição veio em seguida. “Vamos fazer aqui mesmo então. Iremos realizar uma Caravana do Povo na comunidade Nova Esperança”, finalizou Suely Campos.

FONTE: SECOM/GOV.RR

Os comentários estão desativados.

//

Enquete

Sorry, there are no polls available at the moment.

Criado por:

Israel Dantas

FatoReal: Notícias, críticas, denúncias, ideias e devaneios

© Copyright 2010-2012 FATOREAL - Todos os direitos reservados!

Orgulhosamente feito em wordpress