Presidente do TJRR apresenta projeto AgroArrt para autoridades

Os integrantes do o Projeto AgroArrt fizeram uma apresentação de coral para abrilhantar a visita à exposição / Foto: Wirismar Ramos /

Uma apresentação do coral do Projeto AgroArrt (formado por reeducandos da Cadeia Pública de Boa Vista), no auditório do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR) abriu a visita que diversas autoridades realizaram no final da manhã desta segunda-feira (5) à exposição de produtos artesanais confeccionados a partir de material reciclável.

A visita à exposição – que ocorre simultaneamente em todas as unidades do TJRR – atendeu a convite da presidente daquele poder, desembargadora Elaine Bianchi, para mostrar às autoridades o resultado de um trabalho que vem sendo realizado pela Vara de Execuções de Penas e Medidas Alternativas (VEPEMA), junto aos reeducandos.

Entre as autoridades presentes, estavam o comandante da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, Gen. Gustavo Henrique Dutra de Menezes; a defensora pública geral Terezinha Muniz; o presidente da Associação Comercial e Industrial de Roraima (ACIR), Jadir Corrêa; a vereadora Dra. Magnólia Rocha (PPS); e a prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (PMDB).

Trabalho contagiante

Des. Elaine Bianchi: “É um trabalho que tem contagiado de maneira tão positiva que é emocionante, contamina e essa contaminação positiva é que precisa ser viralizada” / Foto: Wirismar Ramos /

A partir de pneus usados que foram doados pelo TJRR, os reeducandos usam a criatividade para confeccionar diversos objetos, como conjuntos de mesas e cadeiras, sofás, sandálias, jarros, poltronas, entre outros. A exposição teve início em 29 de janeiro e encerra-se no dia 9 de fevereiro e todos os objetos expostos estão à venda.

De acordo com Elaine Bianchi, o Projeto AgroArrt é um ótimo exemplo de que as medidas alternativas podem transformar e incentivar o reeducando a descobrir seu potencial criativo.

“O trabalho que eles vêm desenvolvendo através da AgroArrt tem contagiado de maneira tão positiva que é emocionante, contamina e é essa contaminação positiva é que precisa ser viralizada. E a gente consegue isso só através da imaginação, da criatividade. O que mais nós podemos levar a eles? O que mais eles podem fazer com esse talento? Então, nossa intenção é levar todas as instituições, todos os órgãos reunidos dentro do seu papel institucional, a ver de que forma podem contribuir. É só usar a imaginação. O Céu é o limite”, afirmou.

Transformação de vida

A defensora pública geral Terezinha Muniz e a vereadora Dra. Magnólia Rocha estavam entre os convidados / Foto: Wirismar Ramos /

Para o reeducando Herlons Soares Neves, o projeto AgroArrt trouxe outra perspectiva para a vida dos detentos. “Essa experiência está sendo tremenda na nossa vida. Nós ganhamos a oportunidade de trabalhar numa arte que ainda não conhecíamos e de transformar a nossa vida. O projeto representa o caminho para a nossa regeneração”, disse.

A vereadora Dra. Magnólia Rocha disse ter ficado impressionada com o resultado do trabalho dos reeducandos do projeto AgroArrt.

“É um projeto de um significado de suma importância no nosso dia a dia. Nossa vida hoje é tão virada para coisas materiais, que acabamos nos esquecendo que existem muitos corações bons. Ninguém nasce mau, ruim. Sempre tem algo de bom dentro dos nossos corações. E se cada um de nós pudesse ter essa visão, o nosso mundo seria bem melhor”, ponderou.

O projeto AgroArrt é fruto de parceria firmada em agosto de 2017 entre o TJRR, a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SEJUC), Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Roraima (OAB/RR) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de Roraima (SESCOOP/RR).

DA REDAÇÃO