*

links

*

mídias

PROMOÇÃO NA PC-RR – E-mails do Sindepol revelam estratégia de pressão contra Anchieta

12 maio 2012 | Comentários

Em uma das estratégias, Volmir Vargas, deu entrevista denunciando as mazelas da Polícia Civil

Informações enviadas de forma contínua – via e-mail – aos delegados de Policia Civil pelo Sindicato da classe em Roraima (Sindepol-RR), confirmam o propósito do governador Anchieta Júnior (PSDB) em não aceitar emendas, ou qualquer outra mudança no Projeto de Lei Complementar que trata das promoções na Polícia Civil do Estado (PC-RR), já em tramitação na Assembleia Legislativa (ALE-RR).

E-mail enviado na última quinta-feira (10), informa sobre uma audiência entre representantes do Sindepol com o governador. No texto, o sindicado deixa clara a atitude intransigente e abusiva de Anchieta. “O governador afirmou que não aceitará emendas parlamentares irresponsáveis de cunho político eleitoral oportunista”, informa o Sindepol aos delegados.

Revelação ainda ainda mais grave, é a que o Sindepol fez no dia 15 de fevereiro deste ano. Nessa data, o sindicado confessa a pressão – ou seria chantagem? – que fazia para o que o governador mandasse elaborar o projeto de acordo com a vontade dos 36 delegados que seriam beneficiados com as promoções, e não em prol de toda a categoria.

Ao ler o texto enviado pelo Sindepol, não resta dúvida de que o grupo age de forma sistemática, com “estratégia”, pressionando o chefe do Executivo, como se tivesse ‘cartas’ na manga, para usar caso o projeto não saísse de acordo com sua vontade.

Esse comportamento do Sindepol é compreensível – embora não aceitável, do ponto de vista ético e moral – se levarmos em conta que o tal PLC seria uma forma de ‘compensar’ exatamente os 36 delegados que ajudaram Anchieta no esquema de compra de votos em 2010 – carregando malotes com milhões de reais para o interior, fazendo vista grossa às denúncias de compra de votos, etc.

Veja:

<<
Atenção! A promoção não está garantida. Se o governo não for pressionado ela não vai sair ou mesmo pode sair bem mitigada. Algumas possibilidades de mitigação da promoção já foram ventiladas pelo Governo. Temos que incomodar o Governo, senão fica cômodo adiar e adiar as decisões.

(…)

Participe ativamente da pressão, se informe, busque notícias, cumpra as decisões da Assembléia do Sindicato, exija seus direitos. Se não empurrarmos o elefante, ele não sai da frente. E olha que o elefante é grande, pesado e está sentado no caminho e várias pessoas querem subir nele para que ele não saia do lugar. Fique ligado. Atenção! Estamos agindo de acordo com uma estratégia definida. O sindicato está atuante na luta.
>>

Guerra declarada ao Sindpol

Ainda no e-mail da última quinta-feira (10), o Sindepol revela a estratégia de combate ao Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Roraima (Sindpol-RR). O sindicato dos delegados acusa o presidente do Sindpol, José Nilton, de estar tentando se promover politicamente e ainda tenta desmoralizar os delegados ‘dissidentes’ – que não concordam com a “estratégia”.

Veja:

<<
Se o projeto é tão bom porque algumas pessoas são contra e fazem tudo para sabotá-lo? Porque o presidente do SINDPOL não quer a promoção? Eu mesmo respondo: interesses político-eleitorais. Mas por que aluns delegados também não querem a promoção? Eu também respondo: seus padrinhos políticos não ganharam as eleições e não podem indicar eles para 5 vagas por merecimento,
visto que não possuem boa colocação no concurso, nem méritos próprios.
>>

Ações sigilisas e ‘atos de ruptura’

A pressão feita pelo Sindepol lembra as ações de grupos radicais, com ameaças ao governador, decisões que objetivam prejudicar os colegas ‘dissidentes’ e os demais servidores da PC-RR, com resultandos que infulenciam diretamente – de forma negativa – na segurança pública da população e o combate ao crime organizado.

O Sindepol fala, por diversas vezes, em “atos de ruptura” com o Governo e em ações “sigilosas”, com o objetivo de forçar o governador a fazer o que é do interesse dos 36 delegados.

Veja:

<<
Na assembléia, ficou estabelecida a opção por um processo gradativo de ruptura com a Administração até a efetivação da promoção, senão vejamos:

(…)

Ruptura com a Administração: Maioria 71% ruptura gradativa com a Administração até a efetivação da promoção; Maioria 64% ruptura com os Diretores contrários ao movimento até a efetivação da promoção; Maioria 71% ruptura com os Delegados Titulares contrários ao movimento até a efetivação da promoção.

Para dar cumprimento às deliberações, o Sindicato montou uma rede de núcleos de informações e mobilização, a fim de viabilizar nossa rápida mobilização, quando necessária, para participação em manifestações, boicotes, trocas de informações, operações e controles (efetivação dos atos de ruptura estabelecidos na Assembléia, bem como dos atos de ruptura sigilosos).
>>

Denúncias na imprensa

Outra forma de pressionar o goveranador, foi expor as mazelas da PC-RR à imprensa. A decisão foi tomada no dia 1º de fevereiro e, no dia 19 daquele mês, o presidente do Sindepol, Volmir Vargas, deu entrevista à Rádio Folha (1020 AM) (http://www.folhabv.com.br/noticia.php?id=124686), informando que a categoria estava pronta para cruzar os braços caso suas reivindicações não fossem atendidas.

Volmir Vargas reclamou de pouco efetivo, carga elevada de trabalho, da precariedade da estrutura física das delegacias, falta de combustível, viaturas quebradas, dentre outras mazelas, e revelou ter entregue um relatório completo sobre esses problemas ao Ministério Público do Trabalho (MPT).

Veja um trecho do e-mail, enviado no dia 1º de fevereiro, que revela a estratégia de pressão do Sindepol:

<<
…divulgar: as situações precárias das delegacias e dos distritos, a insuficiência da cota de combustível para as viaturas, a ausência de manutenção das viaturas, expor: os problemas dos armamentos (ex: insuficientes), o problema da cota de munição e ausência de treinamento e prática de tiro, o problema de delegados terem que responder concomitantemente por várias unidades policiais…
>>

Em outro trecho do mesmo e-mail, o sindepol aconselha os delegados ‘aliados’ à causa, que sejam rígidos quanto aos crimes praticados contra a administração – provavelmente pelo próprio governador e seus secretários -, “tomar medidas que incomodam os poderosos” e volta a falar em “atos de rupturas sigilosos”.

Veja:

<<
…dar prioridade aos inquéritos policiais que apuram crimes contra a administração, tomar medidas que incomodam os poderosos: lei seca, crimes ambientais, contravenções penais, licitações etc.; Maioria 89% manifestos de descontentamento; Maioria 61% fianças padronizadas e com valores elevados; Unanimidade outros atos de rupturas sigilosos.
>>

Leia abaixo os e-mails na íntegra, enviados aos delegados:

<<
Nossa rede de informações e mobilização

Date: Wed, 1 Feb 2012 14:06:20 – 0200

Caros Colegas Delegados,

Na assembléia, ficou estabelecida a opção por um processo gradativo de ruptura com a Administração até a efetivação da promoção, senão vejamos:

Quarto. Greve: Unanimidade não descartar a possibilidade de greve; Maioria 86% processo gradativo de reivindicação com a utilização do instituto da greve apenas como última medida.

Quinto. Ruptura com a Administração: Maioria 71% ruptura gradativa com a Administração até a efetivação da promoção; Maioria 64% ruptura com os Diretores contrários ao movimento até a efetivação da promoção; Maioria 71% ruptura com os Delegados Titulares contrários ao movimento até a efetivação da promoção.

Para dar cumprimento às deliberações, o Sindicato montou uma rede de núcleos de informações e mobilização, a fim de viabilizar nossa rápida mobilização, quando necessária, para participação em manifestações, boicotes, trocas de informações, operações e controles (efetivação dos atos de ruptura estabelecidos na Assembléia, bem como dos atos de ruptura sigilosos). Cada delegado será contactado por seu líder de núcleo, que ficará encarregado pelo repasse das informações e determinações para seu núcleo.

Atos de Ruptura aprovados:

Sexto. Atos de ruptura aprovados: Unanimidade não atendimento a pedidos ou solicitações verbais (exigir formalização dos atos), manifestações públicas, medidas burocráticas seguindo a risca as exigências legais para os atos, operações padrões (semelhantes às operações dos fiscais), controle de viaturas (delegado fica com a chave e só desloca com autorização), não adesão a operação de policiamento ostensiva, não utilizar recursos próprios para viabilizar os trabalhos e investigações policiais, controle rígido de horário e pontualidade de subordinados (sem tolerâncias), divulgar: as situações precárias das delegacias e dos distritos, a insuficiência da cota de combustível para as viaturas, a ausência de manutenção das viaturas, expor: os problemas dos armamentos (ex: insuficientes), o problema da cota de munição e ausência de treinamento e prática de tiro, o problema de delegados terem que responder concomitantemente por várias unidades policiais, não comparecimento a cerimônias, não participação em eventos do Governo, não utilização de aparelhos celulares pessoais para o serviço policial ou administrativo, operação tartaruga, exigir intimação pessoal e respeito às prerrogativas da lei para ouvir os delegados na Justiça, pauta rígida de audiências, dar prioridade aos inquéritos policiais que apuram crimes contra a administração, tomar medidas que incomodam os poderosos: lei seca, crimes ambientais, contravenções penais, licitações etc.; Maioria 89% manifestos de descontentamento; Maioria 61% fianças padronizadas e com valores elevados; Unanimidade outros atos de rupturas sigilosos.

Observa-se, também, que foi estabelecida a ruptura com os Diretores e Delegados Titulares contrários ao movimento.

Assim, em continuidade ao estabelecido na Assembléia, todos os delegados, no início, serão incluídos nos núcleos da rede, contudo, os dissidentes do movimento serão, imediatamente, excluídos e passaram a enfrentar os atos de ruptura determinados de acordo com a postura adotada pelo dissidente. Cabe a cada delegado fiscalizar seu colega, a fim de garantir o respeito ao estabelecido na Assembléia. O sindicato ficará de olho e zelará pelo cumprimento das deliberações.

Guarde o contato de seu líder de núcleo.

Atenção: Por favor, Responda os e-mails enviados, dando o ciente para confirmar o recebimento. A interação é muito importante. Ex: Resposta: Estou ciente.

SINDEPOL
>>

<<
Corregedoria alimentação do Sindicato com informações para providências

Date: Wed, 1 Feb 2012 14:12:44 -0200

Caros Colegas Delegados,

Na assembléia, ficou estabelecido que o Sindicato tomasse providências quanto aos atos indisciplinas, quebra de hierarquia, omissões e negligências e outros, bem como providências quanto à postura do presidente do SINDPOL, senão vejamos:

Oitavo. Relação com a Corregedoria: Unanimidade exigir um controle mais rígido da hierarquia e disciplina dos subordinados, exigir um controle mais rígido quanto à postura de delegados omissos e relapsos que denigrem a imagem dos delegados que trabalham e são proativos (controle de eficiência e produtividade), exigir providências quanto aos atos do Presidente e membros do SINDPOL, que extrapolam suas prerrogativas constitucionais, fazendo ataques pessoais, mentirosos e difamatórios aos delegados.

O Sindicato solicita que cada delegado alimente o banco de dado de informações.

Faça suas denúncias para que o Sindicato tome as medidas legais cabíveis, inclusive judiciais.

Atenção: Por favor, Responda os e-mails enviados, dando o ciente para confirmar o recebimento. A interação é muito importante. Ex: Resposta: Estou ciente.

SINDEPOL
>>

<<
Notícias sobre a luta pela valorização da classe

Date: Thu, 9 Feb 2012 11:50:40 -0200

Informamos aos colegas delegados que fomos recebidos pelo Secretário de Segurança Sá Cavalcante para falarmos das nossas decisões e posturas em relação à inércia do Governo quanto à promoção da policia civil.

Na reunião, o Secretário se mostrou informado sobre as nossas demandas e bastante receptivo aos nossos pleitos, o que nos deixou otimistas.

Durante a conversa com o Secretário, compareceu a Secretaria o Chefe da Casa Civil Sérgio Pilon que nos garantiu o Governo se sentia angustiado por ainda não ter resolvido o problema das nossas promoções e garantiu que o Governador ao retornar de sua viagem iniciaria o processo de medidas para viabilizar a promoção, visto que seria intenção do governo fazer imediatamente a promoção logo que iniciado os trabalhos da Assembléia Legislativa e passado o recesso de carnaval.

Em discursos públicos, o governador garantiu que já tinha uma proposição ou projeto para a promoção em sua mesa,  diferente da proposta de promoção da DG, afirmando que adequaria as possibilidades financeiras do Estado “vou fazer o que é possível”.

O sindicato não pode se posicionar, neste momento, quanto às novas proposições, visto que ainda não tomou conhecimento do projeto, mas garante aos sindicalizados que lutará pelo respeito aos estabelecido na Assembléia.

A postura de ruptura gradativa continua, mas, neste momento, estrategicamente, entendemos ser coerente aguardar o início dos trabalhos da Assembléia para ações mais enérgicas.

Estamos em negociação e acompanhando cada passo do Governo, e a princípio parece que realmente a promoção vai ser realizada.

Solicitamos aos colegas que continuem alimentando nosso banco de dados de informações das mazelas ou demandas dos colegas, pois as publicações serão feitas de acordo com a estrategia estabelecida pela diretoria.
Continuem cumprindo os atos de ruptura já estabelecidos.

SINDEPOL
>>

<<
Conversa com o Governador

Date: Wed, 15 Feb 2012 15:24:34 -0200

Caros Colegas,

Já nos reunimos com o Governador sobre a promoção. Ficou acertado que a Casa Civil adaptará as propostas de promoção às possibilidades do Estado. Ficou acertado que não haverá mais a formação de comissões de estudo ou qualquer outro ato de enrolação, e sim, que a casa civil elaborasse os termos da promoção para que o Governador encaminhe para a Assembleia assim que concluído seus termos.

Atenção! A promoção não está garantida. Se o governo não for pressionado ela não vai sair ou mesmo pode sair bem mitigada. Algumas possibilidades de mitigação da promoção já foram ventiladas pelo Governo. Temos que incomodar o Governo, senão fica cômodo adiar e adiar as decisões.

Existem forças contraria atuando para a promoção não sair ou sair de forma mitigada. Ex: Alguns Coronéis de PM criticam as 36 vagas na c. especial, eles não sabem (ou não querem saber) que o número é baseado no estudo e preenchimento dos cargos de chefia da polícia, ou seja, uma necessidade institucional; o presidente do SINDPOL, José Nilton, quer apenas usar o tema como palanque político (“quanto pior melhor”).

Participe ativamente da pressão, se informe, busque notícias, cumpra as decisões da Assembléia do Sindicato, exija seus direitos. Se não empurrarmos o elefante, ele não sai da frente. E olha que o elefante é grande, pesado e está sentado no caminho e várias pessoas querem subir nele para que ele não saia do lugar. Fique ligado.

Atenção! Estamos agindo de acordo com uma estratégia definida. O sindicato está atuante na luta.

SINDEPOL.
>>

<<
Vamos lutar pela aprovação da lei (divulgue para todos policiais civis)

Date: Thu, 10 May 2012 13:09:44 -0300

Caros colegas policiais,

Finalmente, conseguimos sensibilizar o Governo para que elaborasse o projeto das promoções dos policiais civis. O projeto foi encaminhado para a Assembleia na mesma data de sua assinatura (09/05/12).

Importante destacar que trata-se de projeto do Governo e não mais da Delegacia Geral.

O projeto do Governo traz grandes avanços em relação ao projeto da Delegacia Geral,
uma vez que foram reconhecidos vários benefícios para todas categorias:

a) interiorização;
b) subsídio;
c) preenchimento do quadro de cima para baixo;
d) número de vagas de acordo com a necessidades administrativas;
e) efeitos financeiros imediatos; e
f) abrangência de quase todos os adicionais, a exceção da insalubridade.

Esclarecimentos:

a) A interiorização não fazia parte do projeto da DG. Agora, foi contemplada 7, 10 e 13%.

b) O subsídio garante, por exemplo, aposentadorias e pensões com valores integrais pelo subsídio. Infelizmente, temos servidores e pensionistas que percebem em seus benefícios apenas o vencimento básico.

Policial, não corra o risco de você, e ou, sua família ficarem desprotegidos e prejudicados.

c) O preenchimento do quadro de carreira de cima para baixo garante o preenchimento, completo e imediato, dos quados da polícia, assim, não precisaremos esperar mais tempo para podermos galgar as classes finais de nossas carreira.

No projeto anterior, estava previsto apenas subidas de nível dentro da mesma classe para as demais carreiras. Salientamos que a proposta do SINDPOL de esperar até 2019 para o preenchimento das classes finais  é inaceitável.

Não podemos esperar mais!

Mas, e se fossem todos juntos para a última classe? Trata-se de fato jurídico impossível e nunca poderia ser realizado. Desafio mostrarem qual Estado da federação trata suas carreiras policiais ou mesmo dos demais servidores desta forma. A hierarquia é princípio basilar da polícia. Não seja tapeado com falaciais e utopias.

d) Houve um estudo técnico para se definir o número de vagas das classes, de acordo com a necessidades administrativas. Temos 36 unidades policiais que precisam de chefia. Por unidade, teremos um delegado, um escrivão e dois agentes de polícia chefes. Lembramos, ainda, das chefias técnico-cientifica que também foram contempladas. Eu pergunto: não é razoável e técnico o critério? Desafio fixarem outro critério legal. Atenção, não vale dizer que todos serão chefes juntos, pois onde estarão os subordinados? Não dá para ter mais cacique do que índio, não é mesmo?

e) Efeitos financeiros imediatos: receberemos parte do benefícios financeiro ainda este ano.
Aqui lamentamos as manobras do SINDPOL que atrasaram a promoção por pelo menos 6 meses. Salientamos que a proposta da DG merecia reparos, que facilmente poderíamos ter resolvido, mas inviabilizar seu tramite foi mais uma equivocada decisão do SINDPOL. O dialogo sempre foi o melhor caminho.

Prejuízo dos cargos de nível médio:

classe D: 4.486,95 – 2.848,86 = 1.638,09 * 6 = 9.828,54
classe C: 3.739,12 – 2.848,86 = 890,26 * 6 = 5.341,56
classe B: 3.561,07 – 2.848,86 = 712,21 * 6 = 4.273, 26

Tenha ciência dos seus prejuízos.

Obs.: Tomara que esses valores não façam falta em seus orçamentos domésticos.
Demais categorias calculem seus prejuízos.

f) Abrangência de quase todos os adicionais, a exceção da insalubridade. A lei garantiu e reconheceu quase todos os valores que incidiam sobre o valor do vencimento base dos policiais.

Infelizmente, tivemos o prejuízo da lei vedar expressamento o recebimento do benefício indenizatório.

Aqui, novamente, lamentamos as manobras equivocadas do SINDPOL que questionam o fato dos delegados receberem insalubridade por receberem subsídio.

Prejuízo dos cargos de nível médio:

classe D: 4.486,95 (20%) = 897,39 (todo mês) = 10.768,68 (ano)
classe C: 3.739,12  (20%)  = 747,82 (todo mês) = 8.973,84 (ano)
classe B: 3.561,07  (20%)  = 712,21 (todo mês) = 8.546,56 (ano)

Obs.: Tomara que esses valores não façam falta em seus orçamentos domésticos. Demais categorias calculem seus prejuízos.

Pontos importantes:

1) A valorização excepcional das carreiras de nível médio da polícia civil com a fixação de valores de remuneração superiores a vários cargos do nível superior do Estado. Lembramos que várias categorias de servidor estaduais ainda não tiveram o beneficio de estruturação de suas carreiras. Inegável a valorização da carreira policial.

2) A valorização dos agentes carcerários, que no futuro próximo resolverão grande parte do problema de pessoal, quando acertadamente retornarem às suas atividades na PC (saindo da SEJUC). Lembramos que informações inverídicas foram plantadas pelo SINDPOL, dando como cargo em extinção e que a PC não queria aproveitá-los.

3) O governador afirmou que não aceitará emendas parlamentares irresponsáveis de cunho político eleitoral oportunista, visto que houve um grande estudo (câmara temática), e que os pleitos dos policiais foram atendidos de acordo com as possibilidade do Estado. Lembramos que, no futuro, nada impede a luta por outros pleitos, com responsabilidade e fora do contexto da promoção.

Não ganhamos nada tumultuando o trâmite do projeto com pleitos de natureza diversa da do pleito da promoção, como por exemplos: pleitos de aumentos salariais e a extensão do benefício do vale alimentação concedido aos militares. Não que não se tenhamos tais direitos, mas não é o que trata a lei.

4) Colega policial, não podemos deixar que alguns membros do SINDPOL prejudique a promoção de todos policial por mais algum tempo, com nítidos interesses eleitorais, usando os policiais como massa de manobra, criando um palanque político para tentar eleger um de seus membros sindicais nas eleições municipais.

Eu pergunto, será que compensa os policiais trocarem suas promoções para que apenas um agente de polícia tente se tornar vereador? Quais os benefícios imprescindíveis à policia civil um vereador pode trazer? Lembrei! Talvez, dar seu nome a uma rua.

Não se iluda, há pessoas que não querem a promoção de forma nenhuma. Para estas pessoas quanto pior melhor. Assim, fazem propostas mirabolantes, impossíveis jurídica e financeiramente de serem realizáveis.

5) Se o projeto é tão bom porque algumas pessoas são contra e fazem tudo para sabotá-lo? Porque o presidente do SINDPOL não quer a promoção? Eu mesmo respondo: interesses político-eleitorais. Mas por que aluns delegados também não querem a promoção? Eu também respondo: seus padrinhos políticos não ganharam as eleições e não podem indicar eles para s vagas por merecimento, visto que não possuem boa colocação no concurso, nem méritos próprios.

6) Somos testemunhas dos esforços do Governo que garantiu mais de 30 milhões para conceder as promoções. Fixando sua prioridade da valorização funcional. Todas as categorias, através de seus representante, manifestaram apoio ao projeto no momento da assinatura. Mas, infelizmente, mais uma fez alguns membros do SINDPOL tentam barrar a promoção, senão vejamos:

URGENTE, URGENTISSIMA

CONVOCAÇÃO: URGENTE, URGENTISSIMA!   ATENÇAO‼     A DIRETORIA DO SINDPOL CONVOCA TODOS OS POLICIAIS CIVIS

A COMPARECER NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE RORAIMA NO DIA 10/05/2012(QUINTA-FEIRA) ÀS 08h.

PARA UM ATO DE PROTESTO CONTRA O PROJETO DE LEI DA POLICIA CIVIL (CONHECIDA COMO A LEI ME BEIJA).

A PRESENÇA DE CADA POLICIAL CIVIL E IMPORTANTE‼‼          POLICIAL CIVIL …

fonte: www.sindpol-rr.com.br

Não seja massa de manobra, conheça os termos do projeto. Não seja manipulado.

VOCÊ QUER SUA PROMOÇÃO?

O Governador já avisou que vai promover apenas as categorias que efetivamente quiserem a promoção. Não corra o risco de sua categoria ficar de fora.

Sete (07) categorias manifestaram seu apoio ao projeto e confirmam as palavras dadas: delegados, médicos legistas, odontos legistas,  peritos criminais, papiloscopista, auxiliares de perícia e auxiliares de necropsia.

É verdade, até o SINDPOL, representando agentes de polícia, escrivães e agentes carcerários (três categorias) manifestou se apoio no momento da assinatura do projeto, através de seu representante o APC Mariano. (confira as fotos do membros do SINDPOL ao lado do Governador).
Mas, como seu presidente, José Nilton (pessoa que eu não tem interesse político-partidário em uma  promoção realizada por agente político que faz oposição), não estava presente ao ato de assinatura, aparentemente, não vão cumprir a palavra dada e vão combater insanamente o projeto.

8) Compromisso firmado

Agora, devemos mostrar mais do que nunca compromisso com a Instituição e com a população,
visto que sacrifícios administrativos serão necessários até que novas dotação orçamentarias venham para investimentos em materiais e suprimentos. Teremos que trabalha com afinco com os recursos que temos.

Colega, reenvie este e-mail para todo policial civil de sua agenda. Não vamos deixar ninguém ser enganado e ficar prejudicado.

SINDEPOL
>>

Veja o teor do polêmico Projeto de Lei Complementar da PC-RR (clique nas imagens para ampliá-las):

 

Por tudo isso, não tem outra explicação senão a de que o governador Anchieta Júnior – por dever muitos ‘favores’ – tem rabo mais do que preso e está mesmo ‘nas mãos’ desse grupo de delegados.

Aliás, quem tem ‘amigos’, ‘aliados’, ‘apadrinhados’ e secretários como Anchieta, nem precisa de oposição, ou de inimigos. Ou precisa?

WIRISMAR RAMOS – da Redação (e-mail: wirismar@gmail.com)

Tags:, , , , , , , , , , ,
//

Enquete

Sorry, there are no polls available at the moment.

Criado por:

Israel Dantas

FatoReal: Notícias, críticas, denúncias, ideias e devaneios

© Copyright 2010-2012 FATOREAL - Todos os direitos reservados!

Orgulhosamente feito em wordpress