REPOSIÇÃO – Governo Federal atende demanda de Roraima e aumenta repasse para a saúde

Recurso vai contribuir com a melhoria dos serviços de saúde que sofreram impactos com a imigração venezuelana

Ministro da Saúde, Gilberto Occhi, cumpriu agenda em Roraima nesta segunda-feira, 14 / Foto: Marcelo Rodrigues /

Atendendo ao pedido da governadora Suely Campos, durante uma visita a Roraima, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, assinou na tarde desta segunda-feira, 14, uma portaria que concede o aumento do Teto da MAC (Média e Alta Complexidade) em R$ 800 mil por mês.

“Esse recurso servirá para reduzir o déficit de R$ 2,4 milhões que acumulamos todos os meses para custear a saúde”, disse a governadora, ao acrescentar que o ministro garantiu ainda que a partir de agora será exigida a vacinação dos imigrantes em Pacaraima. “A vacinação é uma medida que tenho cobrado desde 2016, o que é de extrema importância para evitar novas epidemias como a de sarampo, que estamos vivendo hoje com mais de 300 casos e três mortes associadas”, frisou.

Desde que começou o processo de imigração venezuelana, Roraima vem sofrendo grandes impactos nos serviços que são prestados pelo Governo do Estado, sem a contrapartida do Governo Federal.

“Temos tido muitas dificuldades para prestar o serviço de saúde à população do Estado, devido ao aumento da demanda de imigrantes nos hospitais. Já adotamos diversas medidas para diminuir os impactos na saúde causados pela imigração. O aumento do Teto da MAC trará mais de alívio, mas mesmo assim ainda terá um déficit de R$ 1,6 milhões”, destacou Suely.

Conforme ela, o Governo de Roraima vai seguir lutando para trazer mais recursos, por mais atenção para povo e para otimizar todo o orçamento, com uma gestão cada vez mais responsável e eficiente.

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, reconheceu a necessidade de aumento do Teto da MAC em Roraima. Sobre a reposição de recurso para a saúde do Estado, o ministro disse que esta será feita após a publicação da portaria.

“O recurso será liberado para o Governo de Roraima o quanto antes, logo que fizermos a publicação da portaria que foi assinada nesta segunda-feira. Serão liberados no total R$ 9,6 milhões, R$ 800 mil a cada mês durante um ano. Caso haja necessidade de mais investimentos, o Ministério da Saúde deve aumentar o repasse”, garantiu.

Ainda durante a visita do ministro ao Estado, a governadora Suely Campos apresentou outras demandas relacionadas à saúde. Gilberto se comprometeu a analisar os pedidos junto com uma equipe técnica logo que chegar em Brasília.

“Nesse primeiro momento, nossa preocupação foi garantir a ampliação do Teto da MAC. Vou me reunir com minha equipe técnica para analisar, minuciosamente, a demanda apresentada pela governadora. Logo que concluirmos os procedimentos, vamos nos reunir com ela novamente para apresentar os resultados dos pedidos que foram feitos”, explicou.

Cartão de vacina agora será cobrado na fronteira

A partir de agora, a vacinação de cidadãos venezuelanos que pedirem abrigo no Brasil será obrigatória. A decisão é uma resposta aos pedidos da governadora Suely Campos por um reforço na questão sanitária na fronteira, após Roraima sofrer com um surto de sarampo, doença que estava erradicada em território nacional, trazido da Venezuela.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 14, durante visita do ministro da Saúde, Gilberto Occhi ao município de Pacaraima (RR), fronteira com a Venezuela.

Com isso, Occhi afirmou que a vacinação na fronteira passa a ser uma das principais preocupação do Ministério da Saúde. Ele frisou que serão vacinados todos aqueles imigrantes que tiverem intenções de permanecer em território brasileiro. “Aqueles que vêm com o intuito de apenas fazer turismo ou fazer comprar e retornar para a Venezuela, não precisarão tomar a vacina”, explicou.

A medida foi reiterada pela governadora Suely Campos, durante reuniões com representantes do Ministério da Saúde e com o próprio presidente Michel Temer, mas só agora o Governo Federal passou a exigir a vacinação.

ESTRUTURA

Para atender todos os imigrantes de forma célere, o Exército Brasileiro está construindo em Pacaraima, um centro de triagem ao imigrante, com capacidade para mais de mil atendimentos diários, número superior à média de cidadãos venezuelanos que atravessam a fronteira, que hoje está em 700 pessoas.

No local será disponibilizado banheiros, bebedouros e cadeiras. A estrutura, que está em fase final de montagem, passa a funcionar na próxima sexta-feira, dia 18.

Após a vacinação, o imigrante segue para emissão da documentação necessária para a sua permanência no Brasil. Em seguida, eles serão encaminhados para os abrigos, tanto de Pacaraima, quanto de Boa Vista em ônibus do Exército Brasileiro, para evitar que eles sigam viagem a pé.

O ministro da Saúde anunciou ainda que será firmado um acordo de cooperação entre o Governo do Estado, Ministério da Saúde e Exército Brasileiro para uma gestão compartilhada da unidade de saúde. “Isso vai ser ótimo para a população de Pacaraima e dos municípios da região. Isso colabora de forma positiva para a redução da demanda nas unidades de saúde em Boa Vista”, pontuou.

DA REDAÇÃO