21 DE ABRIL – Policiais civis de Roraima relatam conquistas e desafios

0
70

Em alusão à data, profissionais da área de segurança relatam desafios do dia a dia do policial civil

Delegada Jaira Farias: “Mesmo que apareçam dificuldades em alguns momentos, acredito que todo o profissional da instituição ama a profissão. É gratificante ver o resultado dado à sociedade” / Foto: Samuel Brandão /

Em 21 de abril comemora-se no Brasil o Dia do Policial Civil. Em Roraima, os 815 profissionais da área de segurança celebram a data comemorativa e relatam os desafios cotidianos da profissão. Para a delegada-geral, Giuliana Castro, o policial civil deve ser sempre homenageado por ser um garantidor dos direitos da sociedade.

“Nossa Polícia Judiciária tem um alto índice de resolução de crimes. Temos profissionais qualificados, corajosos e compromissados com a instituição e com o povo de Roraima. Além disso, trabalham para elucidar crimes e trazer segurança para a população.” afirmou.

A aplicação de recursos para garantir atuação eficiente da Polícia Civil foi destacada pela governadora Suely Campos. Nos últimos três anos, o Governo do Estado investiu mais de R$ 1,6 milhão na PCRR (Polícia Civil de Roraima). Somente em 2017, adquiriu 67 novos veículos que estão à disposição da instituição, realizou compra de equipamentos como coletes e munições, inaugurou novos prédios e investiu na capacitação dos policiais.

“Apesar de todos os investimentos, ainda não temos o que realmente queremos. Mas estamos trabalhando incansavelmente para que a nossa polícia, que já é uma das mais eficientes do País, possa ser a mais bem equipada e treinada do Brasil”, ressaltou a governadora Suely Campos.

Um dos benefícios recentes que o Governo assegurou à categoria foi o envio para a ALERR (Assembleia Legislativa do Estado de Roraima) de um Projeto de Lei que garante a aposentadoria especial. Para os policiais civis, a espera valeu a pena. O Projeto de Lei é uma conquista histórica, pois regulamenta a Constituição Estadual, que prevê a criação de normas, a fim de que o servidor que exerça atividades de risco possa se aposentar com regras diferentes dos servidores do quadro geral.

“O policial civil merece a conquista da aposentadoria especial, devido ao alto risco do dia a dia da profissão. Essa é uma grande conquista”, enfatizou a delegada-geral, Giuliana Castro.

Há 14 anos, Ivone de Fátima ingressou na Polícia Civil de Roraima e desde então acompanha o crescimento da instituição. Ela trabalha atualmente na Corregedoria da PCRR e reconhece uma polícia madura, dedicada e uma das mais bem equipadas do Brasil.

“Nossa polícia não deixa a desejar em nada, se comparada às demais polícias do Brasil. Estamos no caminho certo. Nossa polícia trabalha para auxiliar a Justiça no cumprimento da lei e assegurar os direitos da população”, frisou a policial.

A Polícia Civil de Roraima atua em 11 áreas, com mais de 800 servidores envolvidos em ações, dentre elas, combate de variadas práticas criminosas, identificação de pessoas, medicina legal e perícia criminal. Está em todos os municípios, com delegacias de amplo atendimento e núcleos especializados, como o NPCA (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente), que se dedica a desvendar e combater crimes que vitimam crianças e adolescentes.

A titular do Núcleo, Jaira Farias, lida com crimes que muitas vezes geram grande comoção social. “É um trabalho delicado e que me deixa orgulhosa por fazer parte da Polícia Civil. Nós investigamos e tiramos crianças de situação de extrema vulnerabilidade, garantindo seus direitos e indicando possíveis culpados para Justiça. Mesmo que apareçam dificuldades em alguns momentos, acredito que todo o profissional da instituição ama a profissão e, no dia como o de hoje, é gratificante, por ver o resultado dado à sociedade”, concluiu.

DA REDAÇÃO

Comentários